Aleve LegalTech Ventures: conheça o modelo de Corporate Venture Builder do setor jurídico

Conheça a Aleve LegalTech Ventures e saiba como aproximar escritórios jurídicos da inovação.

Aleve LegalTechA necessidade de inovação chega a todos os mercados e não seria diferente com o setor jurídico. Mesmo que o ramo da advocacia seja, tradicionalmente, mais resistente às transformações tecnológicas, é possível afirmar que as soluções com base em tecnologia já são parte das rotinas de tribunais, escritórios e até mesmo advogados individuais.

Como exemplo, em dezembro de 2020, foi aprovada a ampliação a nível nacional da utilização de uma plataforma de Inteligência Artificial dentro do Judiciário. A solução tem o objetivo de apresentar decisões judiciais do passado similares àquelas solicitadas, seja em relação a despachos, sentenças ou julgamentos, acelerando diversos processos jurídicos.

Ainda, considerando a migração ao digital acelerada pelos impactos da covid-19, também em 2020, o Conselho Nacional de Justiça aprovou a resolução que submete os tribunais a oferecerem soluções tecnológicas para encaminhar soluções de conflitos por meio da conciliação e da mediação.

É nesse contexto de soluções inovadoras que nascem as Law e LegalTechs, empresas de base tecnológica (startups) que buscam por soluções que visam modernizar e automatizar o setor e validar o lado intelectual da profissão. 

E com o objetivo de fomentar o ecossistema de inovação jurídico, a Andrade Silva Advogados, em parceria com a FCJ Venture Builder, lança ao mercado a Aleve LegalTech Ventures, um modelo de Corporate Venture Builder voltado para a esfera jurídica. Saiba mais abaixo!

Legal e LawTechs

De acordo com a Associação Brasileira de Lawtechs e Legaltechs (AB2L), de 2017 para cá, o número de startups jurídicas no Brasil cresceu em 300%. Já a StartupBase, base de dados do ecossistema brasileiro de startups, registra 96 startups cadastradas no segmento Direto, que vão desde softwares que auxiliam escritórios e departamentos jurídicos, de comunicação jurídica e portais de conteúdos até aplicativos inteligentes de Vade Mecum.

Nesse sentido, as Legal e LawTechs são organizações que, por meio da tecnologia, buscam otimizar o setor jurídico, atuando principalmente nas atividades manuais e burocráticas, acelerando processos e beneficiando não só os profissionais, que poderão atuar com foco mais estratégico, mas também os cidadãos e organizações que precisam resolver processos judiciais, além de tornar a própria Justiça brasileira mais efetiva.

De acordo com dados da StartSe, o Brasil está no pódio dos países com o maior número de advogados no mundo, com aproximadamente 1 milhão e 100 mil profissionais, e com o movimento de inovação inerente à sociedade atual, é natural que o número de soluções que resolvam as dores do sistema de Justiça brasileiro aumente, portanto este é um caminho de resultados exponenciais.

A Aleve LegalTech Ventures

Mas ainda que soluções inovadoras não só no ramo jurídico sejam idealizadas a todo o momento, as chances de elas se tornarem produtos ou serviços que de fato agregarão valor aos seus mercados são baixas; não pelo fato de a ideia não ser viável, mas por falta de recursos que são indispensáveis para o desenvolvimento sustentável e escalável da startup.

Conhecido como “vale da morte”, para atravessar o momento mais crítico de uma startup – o seu início – é preciso contar não só com dinheiro, mas também com pessoas experientes em inovação capazes de oferecer mentorias, desenvolver e validar a solução, que consigam captar clientes e investidores, além de outros pontos. 

E se de um lado existem os empreendedores que buscam dar vida aos seus projetos inovadores, do outro existem organizações já estabelecidas que procuram formas de se aproximarem do ecossistema de inovação jurídico. É aí que a Aleve entra em cena.

Modelo de Corporate Venture Builder

Por meio do modelo Corporate Venture Builder, a Aleve é capaz de aproximar organizações jurídicas do ecossistema de inovação por meio de startups, afinal, por serem mais abertas ao risco, terem maior agilidade e utilizarem novas tecnologias, elas conseguem alcançar o horizonte disruptivo com maior facilidade.

Nesse sentido, ao adotar essa parceria, as organizações adquirem grande vantagem competitiva e as startups têm a oportunidade de acelerar o seu crescimento num ambiente com necessidades de mercado reais.

Dessa forma, o objetivo da Aleve, de acordo com Priscila Spadinger, advogada especialista em startups, M&A e negócios e CEO interina da Aleve, é “desenvolver soluções que entreguem de forma mais rápida o que é mais mecanizado no Direito e, por meio de técnicas mais modernas, dar agilidade aos processos do Brasil”.

Por trás dessa iniciativa

A Aleve LegalTech Ventures nasce da necessidade de inovação do escritório Andrade Silva Advogados, um escritório jurídico que é referência desde sua fundação, em 1999. Com sede em Belo Horizonte e filiais em São Paulo e Brasília, a Andrade Silva Advogados é pioneira na prática jurídica e vem representando empresas de diversos segmentos ao longo dos seus mais de 20 anos de existência.  

Com as soluções da Aleve, o escritório busca atender também às demandas de sua base de 2 mil clientes ativos, além de fomentar a inovação no setor jurídico também por meio de suas redes nacionais e internacionais.

Priscila Spadinger também aponta que “trazer mentes brilhantes por meio da Aleve vai tornar essa Corporate Venture Builder muito mais assertiva do que se fizéssemos sozinhos [no escritório]”. Dessa forma, a Andrade Silva Advogados torna-se referência também em unir tradição à inovação, possibilitando que outros escritórios e profissionais do Direito tenham acesso a tecnologias capazes de transformar suas rotinas jurídicas e os processos da Justiça no Brasil.

Junto à Andrade Silva Advogados está a FCJ Venture Builder, uma organização pioneira no ramo de Venture Builder na América Latina e com atuação na Europa e nos Estados Unidos. 

A FCJ atua licenciando seu modelo de Venture Builder nos segmentos (1) regional, promovendo a inovação em diferentes regiões do Brasil e do mundo; (2) vertical, promovendo o desenvolvimento de setores específicos do mercado; (3) corporate, conectando empresas já consolidadas ao ecossistema de inovação; e (4) government, atendendo às demandas de inovação do setor público.

Além disso, a FCJ Venture Builder atua também com o fomento aos grupos de investimento-anjo no Brasil, às franquias de startups e a diversas outras iniciativas que levam a inovação a diferentes regiões do mundo.

Tendo em vista as transformações tecnológicas pelas quais o mundo vem passando, a Aleve LegalTech Ventures tem o propósito de tornar a tecnologia o centro de negócio do advogado e dos escritórios de advocacia, eliminando serviços manuais e burocráticos e permitindo que o profissional desempenhe com maior foco suas atividades intelectuais. 

Para conferir mais sobre o ecossistema de inovação do Brasil, acompanhe as redes sociais da FCJ: Facebook, Instagram, LinkedIn e YouTube.

Posts relacionados

Deixe umcomentário