Carlos Zago ocupa posto de CEO da Molkom Biotech Pharma Ventures

As empresas de biotecnologia vêm vivenciando um crescimento disparado desde o ano passado por conta da produção de vacinas contra a covid-19. Essa maior evidência dada às biofarmacêuticas elevou o protagonismo dessas organizações, fazendo do segmento de biotech muito promissor.

Nesse contexto, a Molkom Biotech Pharma Ventures, uma corporação que visa auxiliar o desenvolvimento de soluções inovadoras no ramo de biotecnologia, anuncia seu CEO, Carlos Zago, médico formado pela UNIFESP, com MBA pela FIAP e especialista em Estratégias Disruptivas e Estratégia de Negócios Sustentáveis pela Harvard Business School. 

Carlos Zago, CEO da Molkom Biotech Pharma Ventures

Com a chegada de Zago, a corporate venture builder começa a traçar seus primeiros passos para o fomento das soluções disruptivas no ramo de biotecnologia, um campo que vem ganhando cada vez mais evidência. “Em biotech, existem novas tecnologias surgindo a todo momento, como a biogenética e inteligências artificiais, que nos permitem atacar diversos desafios, seja no campo cirúrgico, no de medicamentos ou de vacinas, por exemplo. Tudo o que não conseguimos tratar em saúde hoje é um desafio para a inovação”, aponta o CEO.

Zago conta que sempre quis gerar um impacto sistêmico no setor de saúde desde sua formação em medicina. “Eu percebi que se quisesse mudar as coisas no sistema de saúde como um todo, eu não poderia estar dentro de um consultório. Então, procurando maneiras de interagir mais nesse meio, a inovação veio como uma resposta para mim, já que eu ficaria próximo das empresas em que eu gostaria de estar e poderia causar um impacto ainda maior na vida das pessoas”.

Atuando, inicialmente, como startup hunter e, depois, como startup developer numa aceleradora, Zago pôde ter um contato mais próximo com o ecossistema de inovação e desenvolver sua própria tese de atuação profissional. Para ele, algumas empresas precisam dar um passo para trás antes de darem início a processos de inovação.

“Hoje se fala em inovação, que todos precisam inovar, mas poucos buscam entender o que de fato isso representa. Inovação é um meio, não o fim. Se uma empresa fala que precisa inovar, a pergunta que deve ser feita é: por quê? A inovação é uma forma diferente de olhar para um problema ou um desafio. Na maioria das vezes, você tenta resolver esses problemas de maneiras clássicas e elas não funcionam, e é aí que entra a inovação. E na inovação em saúde não seria o contrário. Temos que dar um passo para trás e olhar os desafios que temos dentro da saúde”, explica Zago.

Sobre os objetivos da Molkom Biotech Pharma Ventures, Zago explica que, “no Brasil, existe muito palco para inovação, mas isso é desproporcional ao número de negócios que de fato acontecem. Você pode pegar as iniciativas interessantes de biotech que existem no país e atuar de maneira a conectá-las de fato a investidores, levar essas iniciativas até o registro na ANVISA ou no FDA. Esse é, de fato, o nosso grande objetivo. Não é só dar palco nem só colocar a startup para fazer pitch. É fazer o negócio acontecer posteriormente”.

“Nós queremos causar um impacto na saúde por meio da biotecnologia, atingindo o funding necessário para tais soluções. No final, impactar vidas, encontrar pesquisadores para lançar novas moléculas e novos medicamentos, são objetivos muito nobres a se perseguir”, afirma o CEO.

Tratando-se de um segmento amplamente regulamentado, a Molkom Biotech Pharma Ventures desempenha um papel muito importante no mercado. Zago explica que “ter uma corporação que vai dar apoio não só financeiro, mas também para realizar o registro de uma patente, a liberação junto a uma agência reguladora nacional e internacional, é de extrema importância para que essas tecnologias se tornem realidade”.

O cenário mundial, apesar de estarmos vivenciando uma pandemia que afeta a todos, também serve para dar luz ao próximo boom de biotech. De acordo com Zago, estamos conseguindo ver em primeira mão o nascer das tecnologias genéticas e isso torna o momento muito favorável. “Essas tecnologias vão ocupar um espaço cada vez maior na medicina. Veremos a biotecnologia desempenhando um papel efetivo na cura de diversas doenças, e o momento é propício para lançarmos essa CVB, dando apoio a novas iniciativas e modificando a vida de mais pessoas”, finaliza o CEO.

A Molkom Biotech Pharma Ventures é uma Corporate Venture Builder da Holding Saúde Ventures, Molkom e FCJ Venture Builder. Acesse o site e saiba mais sobre a iniciativa.

Posts relacionados

Deixe umcomentário