FCJ

Fusão entre Psicologia Viva e Conexa recebe investimento de 200 milhões de reais e consolida o modelo de Venture Builder do Grupo FCJ

Após 9 anos, FCJ valida seu modelo de venture builder com a Psicologia Viva, maior plataforma de telepsicologia da América Latina

O Grupo Conexa, formado em março de 2021 pela fusão da Conexa Saúde, empresa líder em telemedicina do país, e a Psicologia Viva, startup do portfólio da FCJ Venture Builder líder em telepsicologia na América Latina, anunciou a captação de R$ 200 mi em rodada Série C liderada pela Goldman Sachs Asset Management. 

A Goldman colocou R$ 140 milhões do total captado na Série C. A General Atlantic colocou outros R$ 50 milhões, mais do que o pro rata a que tinha direito, aumentando sua participação na startup; e a Igah Ventures e a Endeavor Scale-Up colocaram o resto.

A Psicologia Viva foi a primeira startup desenvolvida pela FCJ e, com a fusão em 2021, o Grupo Conexa passou a gerenciar as 16 milhões de vidas atendidas pela Psicologia Viva em sete países, com mais de 67 mil profissionais de saúde cadastrados.

O investimento encerra o ciclo de validação do modelo de venture builder da FCJ e reforça o posicionamento da multinacional mineira como um dos líderes em venture building no mundo. “Há nove anos, desenvolvemos nosso modelo de Venture Builder e, em 2019, lançamos a primeira Corporate Venture Builder no Brasil, modelo que tem como objetivo ser uma alternativa para as organizações que tenham o interesse em promover o Corporate Venture, com mais corporate e menos venture”, pontuou o CEO da companhia Paulo Justino em um pronunciamento interno.

A FCJ Venture Builder segue seu plano de expansão internacional, também iniciado em 2021 com a captação de R$ 6,5 mi de um grupo investidor de origem japonesa. Além de operações nos Estados Unidos e Europa por meio do seu programa de partnership, a FCJ anunciou neste mês o lançamento da primeira Corporate Venture Builder nos Estados Unidos, a Fashinnovation Ventures, e uma Corporate Venture Builder de turismo e hospitalidade, a Inspire Ventures, em Portugal.

O modelo de Venture Builder 4.0 proposto pela multinacional tem como pilar central o open innovation, de modo a conectar grandes empresas à inovação. Dessa forma, as Corporate Venture Builders da rede selecionam startups no mercado de forma criteriosa e se tornam sócios estratégicos, oferecendo às startups recursos para validação e escalabilidade do negócio.

Atualmente, o grupo FCJ conta com mais de 120 startups, cerca de 800 investidores, mais de 1.500 colaboradores e mais de 50 empreendimentos, entre corporate venture builders, plataforma de investimento coletivo, ferramenta de gerenciamento de portfólio e outras iniciativas.

Deixe umcomentário