FCJ

FCJ apresenta nova COO para América Latina

Karla Adoryan, COO América Latina

A FCJ Venture Builder, maior rede de venture building da América Latina, que ajuda grandes e médias empresas a implementarem a inovação aberta por meio da colaboração com startups, apresentou a nova COO responsável pelas atividades internacionais na América Latina, Karla Adoryan.

Com mais de 20 anos de experiência em inovação, Karla já ajudou inúmeras comunidades e pessoas a estruturarem e expandirem seus negócios por meio de metodologias, ferramentas e conexões. Além disso, a COO LATAM da FCJ também já atuou em grandes organizações internacionais e em hubs de inovação aberta como startup hunter, matchmaker, mentora e embaixadora.

Sua chegada vem para somar os esforços em expansão internacional da empresa, que teve início no ano passado e rendeu um primeiro aporte de R$ 6,5 milhões. “A América Latina vem, nos últimos anos, se tornando um ponto global de atração para investimentos de risco em startups e inovação. O tema do desenvolvimento socioeconômico e as características de resiliência e criatividade  são coisas que compartilhamos aqui na América Latina. Hoje, na FCJ, espero contribuir abertamente para transformar o ecossistema de inovação, escutando pessoas e culturas, fortalecendo os recursos locais e gerando conexões globais”, afirma a executiva.

Mesmo compartilhando similaridades, a América Latina é também plural, o que implica certos desafios para o trabalho de expansão. “Quando falamos de LATAM, o maior desafio é a língua, afinal somos todos latinos, mas falamos português e os demais países espanhol. Passado esse primeiro desafio, haverão outros, relacionados à cultura, à forma de fazer negócios e mais alguns que vamos descobrir pelo caminho. Os benefícios para a FCJ e, ouso dizer, para o ecossistema de empresas (startups ou não) estão ligados diretamente à abertura de mercados, geração de conexões e fortalecimento econômico das regiões”, explica a COO.

Para alcançar seus objetivos internacionais, a multinacional tem como base o plano “FCJ Global Partnership Program”, que tem como objetivo expandir o modelo de Corporate Venture Builder da FCJ. Ainda, o programa de Soft Landing, por meio da Bridge Brazil e da StartupWin, permite que startups internacionais entrem no mercado brasileiro por meio da rede e do networking FCJ.

Atualmente, a empresa já realiza operações nos Estados Unidos e Europa, inicialmente em Portugal, e conta com mais de 100 startups em seu portfólio, mais de 500 investidores e cerca de 50 empreendimentos, entre eles corporate venture builders, grupo de investidores-anjo, plataforma de equity crowdfunding e outros. 

Posts relacionados

Deixe umcomentário