FCJ Venture Builder lança corporate venture builder com foco no mercado imobiliário

A nova corporate venture builder busca desenvolver soluções inovadoras para toda a cadeia imobiliária, aumentando as chances de sucesso das startups do ramo.

A FCJ Venture Builder, multinacional líder em Venture Builder na América Latina, anunciou o lançamento de mais uma corporate venture builder para este ano. Com a aceleração da inovação e grandes empresas realizando cada vez mais parcerias com startups, esta é a quinta corporate venture builder lançada pela FCJ somente neste semestre. Alguns detalhes do negócio ainda estão em processo de desenvolvimento, mas a tese principal da CVB é atender toda a cadeia do mercado imobiliário.

Um dos grandes nomes por trás dessa iniciativa é Alexandre Gribel, investidor com mais de 25 anos de experiência em mercado imobiliário, vendas e desenvolvimento de negócios. No posto de CEO da nova corporate venture builder, que ainda não teve o nome oficial divulgado, está Bernardo Gribel, sócio da CrediHabitar, uma das maiores empresas de intermediação de crédito imobiliário, sendo também parceira de grandes bancos e fintechs, como Creditas e Cashme.

Com lançamento previsto para o início de dezembro, Bernardo explica que o objetivo da nova corporate venture builder é unir construtech e proptech, atuando com construção e desenvolvimento, uma vez que essas são áreas correlatas. “Buscaremos soluções como aplicativos para corretor ou para imobiliária, vamos buscar resolver uma dor de crédito imobiliário, do mercado de construção… Vamos partir do terreno, da oportunidade de real estate, até o imóvel pronto, abrindo o nosso leque de oportunidades”, explica o CEO.

O ecossistema de construtechs e proptechs

Dados do Mapa das Construtechs e Proptechs 2021, desenvolvido pela Terracotta Ventures, empresa de venture capital que investe em startups do setor, mostram que houve um crescimento de 235% no número de startups ativas do segmento nos últimos cinco anos. Em 2021, foram contabilizadas 839 startups ativas atuando na área de projetos, construção, aquisição e propriedades em uso.

Além disso, o Brasil conta com grandes nomes no setor de proptech, alguns deles, inclusive, entraram para o seleto grupo dos unicórnios — startups com valor de mercado acima de U$ 1 milhão —, como QuintoAndar e Loft. Outro exemplo é a Tecverde, que se tornou a maior fábrica industrializada de residências em wood frame da América Latina, sendo adquirida numa operação envolvendo a E2E Chile e a Arauco, uma companhia global de indústria florestal. 

“Essas empresas estão comprando todo mundo justamente porque elas estão resolvendo a experiência da compra de imóvel, o que por si só descomplica muita coisa burocrática no Brasil”, explica Bernardo Gribel.

Hoje, as soluções desenvolvidas por startups construtechs e proptechs abraçam a cadeia imobiliária de ponta a ponta, desde escrituração utilizando Inteligência Artificial, fotos de terrenos tiradas por drones, até serviços de design de interiores, por exemplo.

O modelo corporate venture

Há alguns anos, as grandes corporações se aproximaram das startups como forma de gerar inovação e transformar suas atividades principais, tornando-as referência e mais competitivas no mercado. Atualmente, uma das formas de integrar esses dois mundos — empresas tradicionais e empresas disruptivas — é por meio do corporate venture, um modelo de inovação que permite que grandes empresas selecionem e desenvolvam startups que atendam às suas maiores dores.

O modelo de corporate venture licenciado pela FCJ Venture Builder tem como objetivo agregar às empresas novos métodos, processos, produtos, serviços ou mesmo novas companhias. Já as startups selecionadas garantem acesso aos seus mercados de atuação, validação de produtos e melhoria dos processos administrativos, de marketing e de vendas, além de acesso a fundos de investimento e outros benefícios indispensáveis para o crescimento sustentável e escalável de uma startup.

Sobre a FCJ Venture Builder

A FCJ Venture Builder é uma multinacional pioneira em venture building na América Latina. Há 8 anos, a empresa vem transformando ecossistemas de inovação do Brasil e, mais recentemente, do mundo por meio do licenciamento de seu modelo de Venture Builder 4.0, que, com base na inovação aberta (open innovation), tem como objetivo compartilhar recursos, otimizar o processo de desenvolvimento de startups, mitigar os riscos desse tipo de investimento, gerar conexões entre negócios e, assim, criar novos negócios escaláveis.

Através de parcerias com empresas, organizações, instituições de ensino e startups, a FCJ tornou-se referência no segmento, sendo composta atualmente por mais de 30 empreendimentos, mais de 94 startups e mais de 450 investidores. Presente no México, Estados Unidos, Finlândia e em Portugal, a FCJ vem transformando a forma de fazer negócio ao criar um modelo de empresa exponencial (ExO).

Para mais informações, acesse as redes sociais da FCJ Venture Builder: Instagram, LinkedIn e Facebook.

Deixe umcomentário