FCJ

FCJ lança primeira corporate venture builder tokenizada do mercado brasileiro

FCJ lança primeira corporate venture builder tokenizada do mercado brasileiro

Corporate venture builder é pioneira no segmento e, com a tokenização, oferecerá benefícios tanto para investidores quanto startups.

A tokenização de ativos não é mais uma tendência do mercado. Com a maturidade do ecossistema de inovação brasileiro e os avanços tecnológicos, muitas empresas da economia tradicional buscaram nas startups uma solução para tokenizar seus ativos, considerando a redução de custos de captação de recursos e emissão de títulos, por exemplo, uma maior transparência com órgãos regulatórios e até mesmo um maior engajamento com o público consumidor nos canais digitais.

Nesse cenário, a FCJ Venture Builder, multinacional líder no segmento, anunciou a parceria com a Agile Think, empresa que promove a cultura ágil através de seus treinamentos, consultorias, publicações e condução de práticas inovadoras, e a Circuit Launch, uma incubadora e aceleradora do Vale do Silício, para lançar a primeira corporate venture builder tokenizada do Brasil.

A ideia de criar a Celeiro Ventures surgiu quando a Agile Think desenhou um projeto de um hub de inovação em Limeira, interior de São Paulo, que foi interrompido devido à pandemia de coronavírus. Com a retomada do mercado, a empresa, que atua como fábrica de software, aceleradora digital e oferece treinamentos, viu uma nova oportunidade no modelo “Venture Builder 4.0” da FCJ.

Tese de agronegócio e ESG

Com a colaboração da Circuit Launch, representada no Brasil por Clodoaldo Araujo, empreendedor com experiência no Vale do Silício, palestrante e vencedor da quinta edição do programa O Aprendiz, a Agile Think decidiu pelo licenciamento do modelo de corporate venture builder com foco em startups do agronegócio e ESG.

“Escolhemos essas teses porque já estamos inseridos nesse mercado, com startups solucionando problemas de agronegócio e ESG”, explicou Leandro Stok, cofundador da Agile Think. “Basta pensar que todas as técnicas utilizadas no agronegócio, numa maior produção, com o menor espaço de terra, conectam-se ao ESG: é alimentar o mundo, cuidar do meio ambiente e diminuir os impactos do desmatamento com o uso da tecnologia”, concluiu.

Tokenização

A Celeiro Ventures já nasce sendo a primeira corporate venture builder tokenizada do país com apoio da Trustt Digital, startup da rede FCJ e a primeira S.A tokenizada do Brasil, que oferece soluções em blockchain e segurança jurídica para conversão de ativos reais em ativos digitais.

Michel Vitale, CEO da Trustt Digital, explica que “para empresas, contadores e setor jurídico, a representação de ativos reais através de tokens digitais em um blockchain representa uma evolução de 100 anos, já que o registro que precisava ser realizado de forma manual pode acontecer de forma digital e instantânea”.

Dessa forma, a tokenização da Celeiro Ventures oferece a possibilidade de compra fracionada de cotas; permite uma maior liquidez dos investimentos, tendo em vista a facilidade das transações promovida pela tokenização; além da rapidez e redução de custos, já que a automatização gerada pela tokenização através de smart contract permite uma grande redução de custos administrativos, com negociação a qualquer horário em todos os dias da semana e sem barreiras territoriais.

Oportunidade para startups

Com operação em 30 galpões em Limeira que servirão como “celeiro de startups”, a nova corporate venture builder vai buscar soluções de agronegócio e ESG no mercado durante rodadas conhecidas como “Investor Day”. Ao entrar para o portfólio, as startups garantem o apoio da Celeiro Ventures e da rede FCJ nos serviços de backoffice, o que deixa os empreendedores livres para trabalharem com foco em suas soluções.

Além do apoio jurídico, contábil, em marketing, vendas e governança, as startups terão acesso a uma rede de investidores, networking global e um centro de serviços compartilhados, além de benefícios com plataformas fundamentais para o desenvolvimento tecnológico do negócio.

“Agronegócio e ESG se encaixam em tudo: edtech, fintech, martech, metaverso… é uma área extensa e tudo o que você vê na sua frente partiu do agro e, depois, vai para o ESG. É o agro no começo e o ESG no fim”, pontuou Stok.

Você poderá encontrar mais informações sobre a Celeiro Ventures, como data de lançamento e primeira seleção de startups nas redes sociais da FCJ Venture Builder.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

AssuntosRelacionados

Nosso Instagram

Post Recentes