Como criar um pitch de startup e conquistar clientes e investidores

Todo empreendedor sabe que não é tarefa fácil arrecadar recursos para dar início a um novo negócio ou para dar andamento às operações de uma empresa em desenvolvimento. Afinal, é preciso convencer — e encantar — possíveis investidores para que o negócio ande, e uma das principais ferramentas para se fazer isso é o pitch.

O pitch de startup nada mais é do que uma apresentação sucinta e objetiva sobre a empresa, que tem como finalidade despertar o interesse das pessoas pelo produto ou serviço apresentado.

Quer saber como criar um pitch perfeito e conquistar possíveis investidores e até mesmo novos clientes? Então, continue a leitura!

O que é um pitch de startup?

Em um determinado momento de sua jornada como empreendedor, você precisará apresentar sua startup às pessoas com o objetivo de vender a sua ideia e arrecadar recursos ou conquistar novos clientes ou parceiros. Sendo assim, você terá que mostrar que seu projeto é viável, é promissor e que você conhece muito bem o seu negócio.

O pitch é uma apresentação que pode ser feita de várias formas, como:

  • oralmente;
  • de forma oral + uma apresentação visual, geralmente em formato de PowerPoint; ou
  • apenas apresentação visual.

Mas não é qualquer tipo de apresentação que encantará investidores-anjo, aceleradoras ou empresas de venture building, por exemplo. É preciso criar um pitch de sucesso, que fará com que você alcance os seus objetivos. Portanto, fique atento às principais características de um pitch de startup:

  • no caso das apresentações visuais, mantenha-a com menos de 20 slides/páginas;
  • apresente o negócio, a dor que está sendo resolvida e a solução;
  • fale sobre os dados e o tamanho do mercado em que a startup atua;  
  • não se esqueça de apresentar os diferenciais da startup;
  • mostre o seu modelo de negócio;
  • apresente o time, bem como as habilidades (skills) dos fundadores;
  • mostre também em qual estágio o negócio está; 
  • e não se esqueça de informar os meios de contato.

Agora que você já sabe o que é um pitch e entende que essa é uma ferramenta mais que necessária para apresentar a sua startup ao mercado, veja os passos para criar um pitch de sucesso!

Como criar um bom pitch?

De acordo com um estudo elaborado pela DocSend, que, entre outras questões, buscou entender o que caracteriza um bom pitch, essas apresentações geralmente seguem um mesmo padrão. Dessa forma, as principais páginas/slides de um pitch, na ordem recomendada, são:

1. Objetivo da empresa

Aqui, você deverá apresentar o motivo de você ter investido no seu negócio, o porquê de sua empresa ou projeto existir, o que caracteriza o seu negócio, aonde você quer chegar, o que você quer transformar.  

2. Problema (dor)

Só há espaço no mercado de inovação para aquelas empresas que realmente solucionam algum problema. Basta responder: qual problema o seu negócio está empenhado a resolver? E por quê?

3. Solução

Ainda com base no item anterior, qual solução sua empresa propõe para a resolução do problema? Quais métodos serão utilizados? De que forma essa solução beneficiará o mercado e/ou consumidor final?

4. Mercado

Descreva de forma objetiva o mercado em que seu negócio está inserido. Para isso, utilize números, pesquisas e outras informações relevantes que podem ajudar você a mostrar o potencial do seu negócio.

5. Produto

Por haver um problema de mercado e por você propor uma solução, é necessário apresentar também o seu produto ou serviço. Especifique se o produto ainda está em fase de testes, se já está rodando como um MVP (o mínimo que seu produto precisa ter para ser lançado), por exemplo, ou se já foi validado e testado no mercado. Caso você ainda não tenha desenvolvido o seu produto, descreva a proposta da sua startup, como você prevê esse produto/serviço, e mostre o motivo de você apostar nesse caminho para o seu negócio. 

6. Time

Por trás de produtos e serviços estão as pessoas que fazem toda a operação acontecer. Nessa parte, fale resumidamente do seu time, dando ênfase nas qualificações, habilidades e papel de cada um. 

7. Modelo de negócio

Mostre a forma como a sua empresa cria, entrega e captura valor e diferencia-se de outros negócios. Fale sobre a natureza do negócio, como o conhecimento é utilizado pela empresa, a cultura… e sintetize a proposta de valor, os canais, o relacionamento com o cliente, fontes de renda etc.

8. Concorrência

Estando inseridos num modelo de mercado tão competitivo, os investidores querem saber o que diferencia a sua startup de negócios do mesmo nicho e o que faz com que o seu negócio seja tão atrativo. 

9. Financeiro

Caso você já esteja no mercado há algum tempo e tenha alcançado resultados financeiros, apresente-os. Apenas lembre-se de ter um cuidado maior em relação a essas informações porque, ainda de acordo com a pesquisa feita pela DocSend, a maioria dos investidores (e demais pessoas que verão o pitch) passa mais tempo nesta seção do pitch.

Contudo, isso não significa que você deve, obrigatoriamente, apresentar todas essas informações, até porque muitos negócios, por exemplo, ainda estão no estágio da ideia, ou seja, não há um produto/serviço concreto a ser apresentado nem dados sobre conquistas financeiras da empresa. 

Além disso, conforme apontamos anteriormente, você também pode incluir no pitch tópicos sobre o estágio do negócio e até mesmo os diferenciais da sua empresa. O importante é, antes de tudo, conhecer a fundo o seu negócio e o público a quem ele está sendo apresentado.

Vale ressaltar ainda que o levantamento da DocSend apontou que o tempo médio de visualização de um pitch é em torno de 3 minutos e 44 segundos, então organize bem as informações e sintetize-as de forma que você consiga mostrar os pontos fortes do seu negócio sem deixar nenhuma informação importante de lado.

Criar um bom pitch de startup é importante para você atrair pessoas para o seu negócio, sejam elas investidores, clientes ou parceiros. Contudo, na maioria dos casos, o pitch deve ser breve e direto, o que demanda mais cuidados na hora de selecionar as melhores informações sobre o seu negócio. 

Falando ainda sobre inovação, você conhece as diferenças entre venture builder, aceleradora ou incubadora? Comentamos sobre isso neste artigo!

Deixe umcomentário