FCJ

FCJ entra no mercado de hidrogênio verde com lançamento de corporate venture builder

FCJ entra no mercado de hidrogênio verde com lançamento de corporate venture builder

A rede já conta com outras iniciativas de energias renováveis, mas esta é a primeira com ênfase em hidrogênio verde

A FCJ Venture Builder, maior rede de venture building da América Latina, vai investir em startups que desenvolvam soluções com foco em hidrogênio verde, energias renováveis e descarbonização através da H2G Tech, corporate venture builder (CVB) que está sendo implementada junto a um grupo de executivos liderados pela corporate Cenergias.

O projeto prevê o desenvolvimento de soluções de base digital e tecnológica para promover a transição, o ganho de eficiência e segurança energética a partir do estado do Ceará, estado protagonista no segmento no país. De acordo com dados da Federação das Indústrias do Estado do Ceará (FIEC), mais de 20 memorandos já foram firmados entre empresas e governo e, juntos, somam cerca de US$ 20 bilhões em investimentos no setor para a região.

“O hidrogênio verde é um dos produtos que vem se colocando como um dos mais relevantes para a transição energética no mundo, isso porque ele tem uma característica de produção e queima que emite uma quantidade mínima de carbono, o que substitui combustíveis fósseis”, explica Luiz Mandarino, um dos idealizadores do projeto.

O mercado de H2V no Brasil

Embora o mercado de hidrogênio verde (H2V) ainda esteja se consolidando ao redor do mundo, a pauta reúne grandes esforços, inclusive no Brasil. Segundo a CNN, uma das maiores indústrias químicas da América Latina vai investir, ainda em 2023, mais de R$ 650 milhões na construção da primeira fábrica de hidrogênio verde do país. 

Programas governamentais de fomento à agenda do hidrogênio verde também estão sendo lançados, como o do BNDES, que, em 2022, anunciou o financiamento de até R$ 300 milhões em empreendimentos de produção ou utilização de hidrogênio verde e iniciativas de desenvolvimento tecnológico. Ainda, a BBC apontou que, segundo levantamentos do banco Goldman Sachs, em 2050, o mercado de hidrogênio verde ultrapassará US$ 11 trilhões.

O hidrogênio verde, elemento que tem três vezes mais energia que a gasolina, é gerado a partir do processo de eletrólise, que consiste na quebra de moléculas de água por meio de uma corrente elétrica proveniente de energias renováveis (como a energia solar, eólica ou hídrica). Hoje, a maioria do hidrogênio produzido em escala mundial provém de fontes não renováveis, como gás natural, carvão e óleo pesado, o que explica a corrida mundial pelo hidrogênio de baixo carbono, principalmente no que tange à redução das emissões dos gases de efeito estufa e aos custos reduzidos de produção.

A H2G Tech

Com foco em transição energética, a H2G Tech apoiará startups indtechs, deeptechs e cleantechs  que desenvolvam novas tecnologias para a geração, armazenamento, distribuição e comercialização do  hidrogênio verde. Outras soluções de energias renováveis que contribuam para uma economia de baixo carbono também serão aceitas no projeto.

As startups selecionadas terão acesso a uma metodologia de desenvolvimento validada pela FCJ Venture Builder e que permite o crescimento sustentável dessas empresas ao longo dos anos. Apoio administrativo, em marketing e vendas, orientação jurídica e contábil, além de acesso a mentores e investidores são alguns dos demais benefícios oferecidos pela CVB às startups.

“Os meios para utilização plena e em larga escala do hidrogênio verde pela sociedade ainda são desconhecidos, uma vez que muitas soluções, embora teoricamente conhecidas, infelizmente não estão disponíveis comercialmente”, explica Gustavo Silva, diretor de operações na Cenergias. “Neste cenário em que tantas perguntas ainda não têm respostas práticas, estamos todos numa corrida contra o tempo em busca de soluções tecnológicas viáveis e que possam ser implementadas o quanto antes com o apoio da H2G Tech”.

Com aplicação principalmente em setores industriais, o Brasil conta com uma localização estratégica para a produção e exportação de hidrogênio verde. Nesse contexto, a H2G Tech buscará resolver entraves diversos do mercado, como a restrição tecnológica do segmento, poucas oportunidades de fomento, falta de infraestrutura para evolução do setor, formas de distribuição, entre outros. O lançamento da CVB será anunciado em breve.

1 comentário em “FCJ entra no mercado de hidrogênio verde com lançamento de corporate venture builder”

  1. Srs
    O mercado de energia , é um dos segmentos que mais recebem investimentos , as novas opções de fontes de geração de energia alternativa estão em evidência .
    O hidrogênio verde já possui operações expressivas no Chile .
    No Brasil os maiores investimentos estão no nordeste sendo que salvador é o primeiro grande investimento em planta no Brasil
    desenvolvimento , produção , armazenamento e distribuição são os itens que merecem atendo

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

AssuntosRelacionados
Rolar para cima