FCJ

Inovação no mercado musical: FCJ lança primeira corporate venture builder de música do Brasil 

Inovação no mercado musical: FCJ lança primeira corporate venture builder de música do Brasil 

A primeira corporate venture builder musical do Brasil vai fomentar ainda mais o mercado fonográfico por meio da inovação

Na última semana, a FCJ Venture Builder anunciou um de seus primeiros lançamentos para 2023: a Conecta Ventures, primeira corporate venture builder do Brasil voltada para o mercado fonográfico. A iniciativa vem associada à empresa Conecta Mix, agência musical com sede em Belo Horizonte que realiza um trabalho completo para artistas musicais, desde o gerenciamento de redes sociais e estratégias de branding até a venda de shows, distribuição de gravações musicais em plataformas de streaming e outros canais e gerenciamento de imagem.

A Conecta Ventures fará a seleção de grupos e artistas musicais e os ajudará a escalar por meio de diversas frentes, gerando oportunidades de entrada no mercado digital, considerando streamings e demais plataformas; em relação a direito fonomecânico, auxiliando no relacionamento com o Escritório Central de Arrecadação e Distribuição (Ecad); na logística de shows, dando apoio na estruturação de contratos; e em imagem.

O lançamento acompanha a explosão da indústria musical nos últimos dois anos, que, de acordo com o relatório “Music in the Air”, produzido pela Goldman Sachs Group, cresceu não apenas com a volta dos shows ao vivo após o período de isolamento social, mas também com o perfil de consumo das novas gerações, que gastam mais com música anualmente. Segundo o relatório, as projeções desse mercado em nível global para 2030 podem alcançar a casa dos 131 bilhões de dólares em receita, envolvendo a arrecadação de royalties, performances ao vivo e distribuição de gravações.

“Ainda que seja um mercado que movimenta um alto  valor do PIB brasileiro, o mercado da música é muito efêmero”, explica Valéria Tinoco, cofundadora da Conecta Mix que já trabalhou em  gravadoras como Sony e EMI e tem uma vasta carreira de agenciamento de artistas brasileiros. “Investir nesse produto, a música, é algo vitalício e é um bem tão grande que devemos ter cuidado e não dizer que é apenas um hit, afinal de contas nenhum hit vira flashback.”

A inovação musical no Brasil

O Brasil ocupa a 11ª posição entre os maiores mercados fonográficos do mundo e, somente em 2021, atingiu R$ 2,1 bilhões em faturamento, segundo dados da Federação Internacional da Indústria Fonográfica (IFPI). 85% desse valor é representado pelo faturamento das plataformas de streaming, que movimentaram R$ 848 milhões em 2020 e R$ 1 bilhão em 2021. De acordo com a IFPI, o Brasil é o 10º país com maior faturamento com streaming e o 8º que mais gera dinheiro com execução pública musical.

Na visão de Valéria Tinoco, “hoje não se acompanha carreira, mas isso é primordial e é o que a Conecta Mix faz”. “Ficou tudo muito business e não se tem mais aquele desenvolvimento da música, do sentimento, do movimento que a música nos traz… e não tem isso de música muito velha, basta ver quantas delas reviveram após décadas com o TikTok.”

“É por isso que, quando juntamos nossa expertise em música à gestão empresarial, vimos que faltava uma gestão profissional no ramo musical, além de transparente e responsável, principalmente porque os artistas abdicam da vida para viver seus sonhos”, acrescentou Matheus Robledo, cofundador da Conecta Mix.

Essa movimentação do mercado de inovação musical do Brasil tem chamado a atenção de bancos e fundos de investimento de risco do exterior, como o próprio Goldman Sachs, que elaborou o relatório com previsões para os pŕoximos anos, e fundos americanos, como o Norwest e Goodwater, que realizaram aportes em startups musicais brasileiras.

A Conecta Ventures

Após quase um ano de lançamento e cerca de dez artistas no casting, a Conecta Mix vem realizando um trabalho completo na carreira dos artistas agenciados. “Tivemos uma evolução muito boa em números, tanto de seguidores nas redes sociais, visualizações no YouTube e também os números do rádio”, explica Tinoco. “Transformamos artistas em empresas sólidas, que conseguem se sustentar e que estão sempre se movimentando em longo prazo.”

Com o objetivo de fomentar ainda mais esse mercado, a Conecta Ventures busca ampliar o casting e oferecer as melhores soluções que possam auxiliar os artistas dentro e fora do ambiente digital. “A gente sabe que o digital pode camuflar o sucesso e que essa realidade de sucesso varia de acordo com as mídias”, pontua Tinoco. “É por isso que, às vezes, um artista é muito grande no YouTube e em outros canais não, sem contar o fato de que em regiões mais remotas, onde a realidade é a do rádio, o sucesso é diferente também, por isso não podemos focar apenas no digital.” 

Para Robledo, ao aproximar os artistas da inovação por meio da Conecta Ventures, os benefícios serão muitos, como a oportunidade de mapear os locais onde a música está chegando, a aceitação do público, o gosto musical de acordo com a região, o gênero e idade dos ouvintes, além da logística de shows e agendas, a transparência financeira em tempo real e o mapeamento de rádio. “É preciso lembrar que pequenos artistas podem ter 10 milhões de visualizações no YouTube, não fazer shows em capitais, mas ainda assim lotam regiões espalhadas por todo o Brasil por conta do rádio”, explica. “Por isso, o que queremos é levar os artistas cada vez mais para o rádio, para ações de rua, para o YouTube e para as playlists do Spotify.”

Para alcançar os objetivos de identificar artistas em potencial e fornecer toda a estrutura e condições ideais com o objetivo de alavancar essas carreiras, a Conecta Ventures conta com o suporte da FCJ Venture Builder, empresa líder em inovação na América Latina. 

Nesse cenário, a FCJ fornecerá metodologias de inovação para o desenvolvimento de carreiras, além de gerar oportunidades de acesso ao mercado para os artistas. Por estar presente na América Latina, Europa e Estados Unidos, a venture builder também oferecerá acesso a um networking global capaz de abrir grandes portas para os músicos.

“A música é uma das coisas mais escaláveis que se tem, considerando até onde ela pode chegar de verdade, tudo o que o digital pode trazer, além da venda de shows”, finaliza Robledo.

O lançamento da Conecta Ventures e a primeira rodada de seleção de bandas serão anunciados em breve nos canais da FCJ Venture Builder.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

AssuntosRelacionados